LOBO GUARÁ

Chrysocyon brachyurus

Família

Pertence à ordem carnivora e à família canidae. Carnívoros contém 240 espécies em 7 famílias. 2 não existem no novo mundo: hienas (hyenidae) e mangustos (viverridae). São divididos em duas sub-ordens: Canniformia (cães, ursos, guaxinins e doninhas) e Feliformia (gatos, mangustos e hienas).

Caninos são cerca de 35 espécies em todo o mundo e contém cães, raposas, lobos, coiotes e chacais. O cão doméstico (Canis familiaris) é um deles, abrangendo mais de 400 raças. Apesar de serem espécies distintas há milhões de anos, cães domésticos, chacais, coiotes e lobos ainda podem acasalar entre si. Os dentes caninos (do latim caninus que significa "pertencente a um cachorro") são importantes armas para ferir e segurar as presas mas não são tão agudos como nos felinos. Eles não matam suas presas com uma mordida poderosa como os felinos e mustelídeos. Presas grandes são esviceradas até a morte, estratégia típica de espécies que caçam em bandos.

Canídeos não são exclusivamente carnívoros. São bastante uniformes em forma, embora o comprimento proporcional de seus membros varie. Tem 5 dedos nas patas dianteiras e 4 nas traseiras, os primeiros das dianteiras não tocam o chão. Principal diferença de suas pegadas em relação aos felinos é que maioria dos caninos tem garras não retráteis, e marcas de garras são normalmente visíveis em suas pegadas, enquanto felinos que quase sempre retraem suas garras ao andar, quase nunca deixam marcas de suas garras.

A maioria tem boa visão, e principalmente aqueles que vivem em bandos dependem de um complexo conjunto de sinais visuais, como expressões faciais e posturas corporais para se comunicar quando juntos. Experimentos tem sugerido que como os gatos tem visão de cores muito limitada. Tem uma audição excelente, mas que duas vezes maior que a nossa. Essa capacidade auditiva ajuda a detectar roedores, que se comunicam através de ultrassom, os quais são as principais presas de muitas espécies. Também tem ótimo olfato, utilizado para caçar, se comunicar e para reconhecer companheiros. Duradouros laços sociais, raros nos carnívoros, são comuns nos caninos, e jovens tendem a depender mais de seus pais. Durante o acasalamento a ponta do pênis do macho incha e não pode ser retirada, fazendo com que eles fiquem juntos por mais de meia hora e aumentando a chance de engravidar a fêmea, antes que a mesma venha a acasalar com outro macho, como muitas o fazem.

Apesar de ser chamado popularmente de lobo, é classificado em um gênero próprio, não sendo tão próximo dos canídeos do gênero Canis que inclui os lobos, cães, coiotes e chacais, sendo mais próximo das raposas.

 

Características

Maior canídeo silvestre da América do Sul, chegando a mais de 1 metro de altura, mede de 95 a 115cm de comprimento, cauda mede de 38 a 50cm e pesa de 20 a 30Kg. É difícil confundi-lo com outro canídeo devido às pernas finas e compridas, pelagem avermelhada e focinho preto.

 

Comportamento

Prefere áreas tomadas por gramíneas altas, habitats arbustivos, mata aberta, cerrado e campos úmidos, que podem ser sazonalmente inundados, mas preferindo áreas com baixa densidade de arbustos e mais secas. Noturno e crepuscular, pode caçar por até 8 horas por dia, repousando ao longo do dia em florestas de galeria e em cerrados. Parecem ser monogâmicos e áreas de vida de pares conjugais podem ir de 15 a 105Km2, com territórios defendidos contra pares adjacentes. Gostam de usar cupinzeiros para demarcação de territórios com sua urina. A vocalização mais frequente é um único latido isolado, podendo ocorrer a qualquer hora do dia ou da noite, mas aumentando no período de acasalamento.

 

Alimentação

Onívoro, sua dieta consiste 50% de vegetais e 50% de animais. Consome frutas e principalmente pequenos e médios vertebrados, entre eles roedores, cachorros-do-mato, veados campeiros, aves, répteis, insetos e artrópodes. Dieta varia de acordo com disponibilidade de alimento. Saltam para capturar aves e insetos, e correm atrás de veados. Uma em cada 5 tentativas de caça tem sucesso. Comem carcaças frescas de forma oportunista, e aparentemente consegue se adaptar bem em áreas com atividades agrícolas.

 

Gestação

Fêmeas entram no cio uma vez por ano, normalmente de abril a junho. Gestação leva aproximadamente 65 dias com maioria dos nascimentos ocorrendo na estação seca, de junho a setembro. Nascimentos variam de 1 a 7 com 3 filhotes de média, com aproximadamente 400 gramas cada. Filhotes nascem de cor preta e ficam em "ninhos" acima do solo protegidos por arbustos, fendas de rochas, barrancos e montes secos em locais pantanosos, por 1 a 2 meses. Com cerca de 4 semanas começam a comer alimentos sólidos regurgitados pelos pais e o desmame completo se dá com 15 semanas. Filhotes ficam no território das mães até o primeiro ano quando atingem maturidade sexual e começam a se dispersar, mas geralmente não se reproduzem até o segundo ano.

 

Conservação

Habita campos e cerrados do nordeste do Brasil até o Pantanal e até a fronteira com a Argentina e Uruguai. Classificado como quase ameaçado pela IUCN e na lista de animais ameaçados no Brasil, população global atual é estimada entre 13mil e 25mil indivíduos. Existem em baixas densidades embora em algumas regiões do Brasil Central sejam mais comuns. A Ameaça mais significativa é a perda de habitat, especialmente para conversão agrícola, e a fragmentação de seu habitat provoca o isolamento das populações. O cerrado, por exemplo, foi reduzido para cerca de 20% de sua área original, e apenas de 1 a 5% esta protegido.

Atropelamentos é uma das principais causas de mortalidade no Brasil, com muitas estradas cortando áreas de conservação no cerrado e motoristas não respeitam limites de velocidade. Muitas vezes tem problemas com cães domésticos perto de áreas urbanas, que perseguem e podem matar lobos-guará, e também podem passar doenças para eles. Não são vistos como uma série ameaça para o gado, mas eventualmente são mortos por predarem galinheiros.