Jaguatirica

Leopardus pardalis

Família

Pertence à ordem carnivora e à família felidae. Carnívoros contém 240 espécies em 7 famílias. 2 não existem no novo mundo: hienas (hyenidae) e mangustos (viverridae). São divididos em duas sub-ordens: Canniformia (cães, ursos, guaxinins e doninhas) e Feliformia (gatos, mangustos e hienas). Todas as espécies comem carne, mas muitas são onívoras e algumas sazonalmente frugívoras.

Felinos são os mais especializados ao consumo de carne da ordem carnívora e, correspondentemente, tem a dentição especializada. Os felinos tem como característica o esqueleto adaptado para saltar, todos tem 4 dedos nas patas traseiras e cinco nas dianteiras, com o primeiro da dianteira não tocando o chão. Com exceção do guepardo, todos tem garras retráteis, que geralmente são recolhidas durante a caminhada, e portanto, se mantém constantemente afiadas. As marcas das garras quase nunca são visíveis nas pegadas dos felinos, algo que as diferencia das pegadas dos cães. Todos tem boa audição e excelente visão noturna. A superfície de suas línguas tem papilas que dão um aspecto de lixa, ajudando a raspar a carne das presas dos ossos e no processo de auto limpeza. Já o olfato não é tão bom como na maioria dos outros carnívoros, raramente ajudando na localização de presas, mas importante na comunicação entre indivíduos como na demarcação de territórios e usados por fêmeas para avisar machos que estão prontas para acasalar.

 

Características

Tem 72 a 100cm de comprimento, cauda mede de 25 a 41cm. Machos são um pouco maiores, pesando de 6,6 a 15,5Kg.

 

Comportamento

Ocorre em uma grande variedade de habitats, do nível do mar a até 1.200 metros de altitude, sempre em áreas com densa cobertura florestal. São noturnos, se escondendo durante o dia debaixo de galhos e árvores caídas ou em buracos nas raízes das árvores. São bons escaladores, mas menos arbóreas que o gato-maracajá.

Nadadores eficientes, são ativas por 12 a 14 horas, descansando do amanhecer até mais ou menos 1 hora antes de anoitecer. Tornam-se mais ativas durante o dia principalmente na estação de chuvas, em dias nublados e chuvosos. São solitárias e territorias, com territórios de machos sobrepondo o de 2 a 3 fêmeas. Invasões de territórios por indivíduos jovens em busca de seu território levam a confrontos bastante intensos e é uma das principais causas de mortalidade para as jaguatiricas. Territórios tem de 3,5 a 17,7Km2 e indivíduos percorrem de 3 a 8Kms por noite.

 

Alimentação

Se alimentam principalmente de animais terrestres. Suas presas favoritas variam em diferentes regiões, entre elas estão  pequenos roedores, peixes, gambás, tatus, cutias, coelhos, quatis, tamanduás, preguiças, macacos, morcegos, pequenos jacarés, lagartos, cobras, tartarugas de água doce, caranguejos, sapos, aves, frutas e até grama. Como os grandes felinos, as jaguatiricas, às vezes, escondem uma carcaça parcialmente comida para comer posteriormente.

Normalmente caçam à noite, caminhando lentamente por trilhas pré-estabelecidas, mas ficando imóveis eventualmente por 30 a 60 minutos em um local de espreita. Raramente caçam em áreas abertas.

 

Gestação

Gestação leva de 79 a 82 dias, quando nasce 1 ou 2 filhotes com aproximadamente 250 gramas e dependentes da mãe por vários meses. Fêmeas podem aumentar seus esforços de caça a até 17 horas por dia para alimentar seus filhotes.

 

Conservação

Ocorre do sul dos Estados Unidos até a Argentina, incluindo quase todo o Brasil. Em cativeiro chegam a viver por 20 anos, mas estima-se que no estado selvagem seja metade desse valor. Estima-se que 200mil foram mortas nas décadas de 60 e 70 para o comércio de peles, sendo reduzido consideravelmente após proibição de caça e de importação de peles em vários países, mas em alguns lugares caça ilegal continua. Adapta-se bem em áreas degradadas, apesar de redução populacional devido à perda de habitat. Classificada como de menor preocupação pela IUCN.