Gambá-de-orelha-branca

Didelphis albiventris

Família

Faz parte da ordem Didelphimorphia. Fazem parte dessa ordem os marsupiais americanos: gambás, cuícas, guaiquicas e marmosas. Principal diferença dos marsupiais para os demais mamíferos é que sua placenta não possui as mesmas estruturas membranosas que facilitam a passagem de alimento para os embriões. Então essa fase de desenvolvimento é mais curta, filhotes nascem prematuros e se arrastam para uma bolsa marsupial no abdômen de suas mães, onde o desenvolvimento se completa.

Algumas espécies podem não apresentar marsúpio ou apresentar de uma forma reduzida, por isso há muita divergência na classificação por diferentes autores. Para alguns autores, apenas o gênero Didelphis, do qual faz parte o gambá-de-orelha-branca, possui uma bolsa bem evoluída para abrigar filhotes. Esse grupo de animais teriam evoluído junto dos marsupiais da Austrália, sendo uma das comprovações de que um dia esses dois continentes já foram unidos. A descoberta de fósseis marsupiais na Antártida mostraria que a Antártida teria servido de ponte para o trânsito de animais entre a América do Sul e a Austrália.

Faz parte da família Didelphis, que vem do grego e significa “útero duplo”, reunindo os gambás das Américas do Norte e do Sul. Os gambás possuem pelos longos e orelhas grandes e arredondadas. Apesar de serem caçados por sua carne no norte e nordeste do Brasil, são muito comuns. Possuem glândulas que liberam um forte odor, usado como defesa contra outros animais. Muitas vezes fingem-se de mortos em situações de perigo, estratégia que muitas vezes tem sucesso pois predadores perdem o interesse em presas aparentemente mortas.

 

Características

Pesam de 500g a 2,75Kg, com 30 a 44cm de comprimento e cauda de 30 a 49cm. Fêmeas são normalmente maiores que machos. Coloração varia bastante, com indivíduos escuros até quase brancos, mas normalmente são cinza claro, com as orelhas esbranquiçadas. É muito semelhante ao gambá-de-orelha-preta, com exceção da cor da orelha, sendo facilmente distinguíveis.

 

Comportamento

Tem hábitos noturnos e abrigam-se em ocos de árvores e debaixo de troncos caídos no meio do dia. Sobem bem em árvores. É solitário exceto na época reprodutiva. Área de vida vai de 0,5 a 3,2 hectares.

 

Alimentação

São onívoros, comendo pequenos invertebrados, principalmente insetos, frutos, sementes, roedores, cobras, aves pequenas, lagartos, rãs, além de oportunamente restos de comida humana e carniça. Pode ser considerado um importante dispersor de sementes devido ao grande consumo de frutos e de sementes germinarem após sua ingestão.

 

Gestação

Gestação varia de 12 a 14 dias e filhotes passam mais aproximadamente 46 dias na bolsa de suas mães. Nascem de 4 a 14 filhotes com média de 6. Mães possuem 9 a 13 mamas em sua bolsa marsupial. Desmame começa aos 60 dias e vai até 100 dias.

 

Conservação

Ocorre da Argentina até o norte da América do Sul. No Brasil ocorre nos Campos Sulinos, Caatinga, Cerrado, Pantanal e Mata Atlântica. Conseguem vivem bem em áreas cultivadas e em áreas urbanas, abrigando-se nos forros das casas e vivendo até em terrenos baldios. É considerado como de baixo risco de extinção pela IUCN.