CAPIVARA

 

Família

A capivara faz parte da ordem Rodentia (os roedores, como esquilos e ratos). Existem cerca de 2mil espécies em todo o mundo, representando quase a metade dos mamíferos, e a Capivara é o maior deles. Ocorrem naturalmente em todos os continentes exceto a Antártida. Característica mais marcante dos roedores é seus dentes incisivos. Roedores tem 5 dedos em cada pé dianteiro (embora os polegares sejam quase invisíveis em algumas espécies) e 3 a 5 nas patas traseiras. A maioria tem caudas conspícuas e espessas, como as de esquilos, que podem ser usadas para se equilibrar nas árvores, como uma capa para o isolamento, ou como uma bandeira em displays territoriais ou de reprodução. Às vezes as caudas são frágeis, quebrando na boca de predadores e dando uma chance de roedores escaparem.

Roedores tem bom olfato, usado na reprodução e comunicação. Tem ótima audição e muitos dos sons usados na comunicação não podem ser ouvidos por humanos. Alguns tem boa visão, como esquilos. Excluindo as espécies maiores, como capivaras, pacas e cutias, a maioria tem curtos períodos de gestação, normalmente de apenas algumas semanas, ninhadas grandes e rápido tempo para atingir a maturidade sexual. Camundongos podem ter 14 ninhadas por ano, nascendo 12 filhotes em cada. A maioria não vive muito tempo, não passando de 5 anos em cativeiro e dificilmente de 2 anos na natureza. Mas próximo de áreas urbanas, com comida constante e abundante, e com poucos predadores, crescimento populacional pode ser enorme.

Estima-se que há o mesmo número de roedores que de pessoas no mundo e eles consomem ou estragam mais de 40 milhões de toneladas de alimentos por ano, além de serem responsáveis pela propagação de muitas doenças, normalmente por um pequeno número de espécies que se adaptam bem próximo aos seres humanos. Mas um roedor nativo em seu habitat natural é tão importante como qualquer outra espécie, influenciando na abundância de inúmeras espécies de plantas, dispersando sementes e em alguns casos polinizando flores, servindo também de alimento para várias espécies. Ratos e seres humanos tem muitas semelhanças biológicas e por isso são suscetíveis muitas vezes às mesmas doenças, por isso são usados para estudos em laboratórios.

Faz parte da família Caviidae que também inclui cutias, pacas e os mocós. Membros dessa família se distinguem por determinadas características crânio-dentários. Apresentam corpo coberto de pelos não espinhosos, cauda reduzida ou ausente e patas posteriores com 3 dedos.

 

Características

A capivara é o maior roedor do mundo. Adultos pesam 50Kg em média, podendo chegar a 100Kg. Comprimento varia de 106 a 134cm e altura varia de 50 a 62cm. A pelagem é longa e grossa, com coloração marrom-avermelhada na parte superior e marrom-amarelada na parte inferior. Possui 4 dedos nas patas dianteiras e 3 nas traseiras, os quais são providos de membranas interdigitais. Como demais roedores possui um par de dentes incisivos na frente usados para roer.

 

Comportamento

Tem hábitos aquáticos, onde ao menor perigo se lançam na água e mergulham. Podem ficar mais de 5 minutos debaixo d'água sem respirar. Os grupos sociais variam de 3 a mais de 40 indivíduos, com um macho dominante facilmente reconhecido devido à presença de uma glândula supra nasal. Eles marcam seus territórios esfregando a glândula em arbustos e árvores. São ativas a qualquer hora do dia, mas mais ativas das 16hs até o início da noite.

 

Alimentação

São herbívoras (capivara significa "comedor de capim" em tupi), comendo de preferência capins de ambientes aquáticos, mas também frutos e brotos.

 

Gestação

A reprodução ocorre 1 vez por ano, podendo chegar a 2 em condições favoráveis. Gestação dura 16 semanas quando nascem de 1 a 8 filhotes, com média de 4 filhotes.

 

Conservação

Distribui-se da América Central à Argentina, ocorrendo em todo o Brasil. Tem uma capacidade excepcional de sobreviver em ambientes alterados pelo homem, com grupos vivendo nas margens dos poluídos rios tietê e pinheiros, na cidade de São Paulo. Na região nordeste é rara por causa da caça para consumo de carne, gordura e couro, e são mortas também porque se alimentam de milho em plantações. Em algumas regiões do sul e sudeste estão com suas populações em desequilíbrio devido à falta de predadores, e chegam a causar prejuízo em lavouras.