BUGIO PRETO

Alouatta caraya

 

Família

Faz parte da ordem dos Primatas. Fazem parte dessa ordem os macacos, os gálagos, os lêmures, os társios, e os hominídeos. Quase todas as espécies de primatas do Novo Mundo tem olhos voltados para a frente, rostos sem pelos, focinho curto e com aberturas nasais apontando para os lados, pescoço curto e caudas longas. A principal diferença entre eles e os primatas do Velho Mundo (incluindo os hominídeos) é as aberturas nasais, que nos primatas do Velho Mundo é para baixo e nos primatas do Novo Mundo é para os lados. Todos os macacos do Novo Mundo são arborícolas e raramente descem ao chão, exceto para cruzar clareiras e quando alimentos são escassos.

Olhos voltados para frente faz com que visão de cada olho se sobreponha, mais que nos demais mamíferos, ajudando na percepção de profundidade de campo e consequentemente na vida em cima das árvores. A visão é seu sentido mais desenvolvido. Desvantagem é que olhos voltados para a frente diminui o campo visual total, tornando-os mais vulneráveis aos predadores.

Os primatas estão presentes em regiões com climas tropicais e subtropicais em todo o mundo com exceção da Austrália. O Brasil é o país com o maior número de espécies com 97 espécies reconhecidas, apesar de número variar bastante entre pesquisadores devido à dificuldade de se diferenciar diferentes espécies e subespécies em algumas famílias, principalmente devido à grande variedade de cores.

Primatas apresentam uma dentição não muito especializada, alimentando-se de uma grande variedade de alimentos, principalmente frutas na maioria das espécies. Por isso tem uma grande importância grande para os ecossistemas onde vivem, sendo os dispersores de sementes mais importantes para muitas espécies.

Maioria das espécies é bastante social e não é incomum ver diferentes espécies forrageando juntas, pacificamente. Vocalização é muito usada na comunicação, seja de indivíduos do mesmo grupo, seja entre grupos diferentes. Olfato é menos desenvolvido que na maioria dos demais mamíferos, mas é usado para comunicação entre indivíduos e para seleção de alimentos.

Faz parte da família Atelidae, da qual fazem parte os maiores primatas do Novo Mundo, entre eles o macaco-aranha e o muriqui. Faz parte do gênero Alouatta que compreende diversas espécies de bugio.

 

Características

Estão entre os maiores primatas do Novo Mundo, pesando de 6 a 9Kg. Tem de 30 a 75cm de altura e sua cauda tem de 40 a 80cm. Machos tem coloração diferente de fêmeas quando adultos, com coloração preto enquanto fêmeas tem coloração castanho claro. Tem caudas preênseis fortes com parte sem pelos para prender melhor nos galhos, dependurando-se muitas vezes apenas pelo rabo.

 

Comportamento

Os bugios são conhecidos pelos seus fortes uivos, que podem ser ouvidos principalmente de manhã a até 5Km de distância e aparentemente são usados na demonstração de territórios entre grupos. Vivem em grupos de 3 a 8 indivíduos, com grupos chegando eventualmente a até 19 indivíduos. Grupos tem um macho dominante e algumas fêmeas e jovens mas são poligâmicos, com machos e fêmeas acasalando com mais de um indivíduo, do mesmo grupo ou de outros grupos. Poligamia de fêmeas poderia ser para aumentar taxa de fecundidade ou para confundir paternidade de machos agressivos. São essencialmente arborícolas, descendo raramente ao chão para beber água. Territórios são pequenos, normalmente de 5 a 45 hectares.

 

Alimentação

Alimentam-se principalmente de folhas, mas também comem brotos, flores, sementes e frutos.

 

Gestação

Gestação leva de 180 a 220 dias e não há muita sazonalidade, nascendo apenas 1 filhote, que é carregado nas costas pela mãe durante os primeiros meses de vida.

Conservação

O bugio-preto ocorre no cerrado, pantanal, sudeste do Brasil além de Argentina, Paraguai e Bolívia. Sua principal ameaça é perda de habitat, mas não é considerado em risco de extinção no Brasil e é considerado como pouco preocupante pela IUCN.